A Minha Carreira

Eles não sabem, nem sonham, que o sonho comanda a vida, António Gedeão

Archive for the month “Janeiro, 2015”

Os trabalhadores com poucas qualificações têm sido os mais afetados pelo desemprego

cedefop2011Os trabalhadores com poucas qualificações têm sido os mais afetados pelo desemprego, no atual cenário de crise económica. Não só são mais suscetíveis de perder o emprego, como também têm mais dificuldade em encontrar um novo emprego. As suas fracas perspetivas de emprego ameaçam elevar a já persistente taxa de desemprego de longa duração entre a população menos qualificada, agravando ainda mais o seu nível de qualificação.

A obsolescência de competências é um fenómeno pronunciado nas sociedades ocidentais «envelhecidas». Ao passo que 31% dos trabalhadores entre os 50 e os 55 anos de idade enfrentam problemas de obsolescência de competências, variando essa proporção entre 23% na Finlândia e 32% na Hungria, na faixa etária dos 30-39 anos essa proporção situa-se nos 21%. A obsolescência de competências por motivos físicos pode ser uma causa natural do envelhecimento da população ativa. Contudo, os trabalhadores mais velhos ou «séniores» também estão expostos ao risco de obsolescência de competências por motivos económicos. O estudo indica que cerca de 19% dos trabalhadores entre os 50 e os 55 anos consideram que a evolução tecnológica é o fator responsável por as suas competências se terem tornado obsoletas nos últimos dois anos.

Ler “Prevenir a obsolescência de competências

Anúncios

Como são reconhecidas as qualificações profissionais nos países da União Europeia

csrqp

Aceder “Um novo regime de qualificações profissionais para a Europa

Europlacement visa ajudar os estudantes que querem realizar um estágio internacional

europlacement

Aceder: Europlacement- Choose your Destination

Agências privadas de emprego vão ajudar os desempregados na sua integração profissional

iefpDe acordo com os esclarecimentos prestados pelo ministério que tutela o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), a prestação de serviços por parte das agências privadas  vai traduzir-se num acompanhamento dado aos desempregados durante, no máximo, 24 meses (contados a partir da data do encaminhamento dos destinatário), incluindo aqui o período pós-inserção, com a duração máxima de 12 meses, independentemente de se tratar de contratos distintos.

Este acompanhamento terá duas fases. A fase de “integração  profissional”, quando se dá a celebração de um contrato de trabalho (seja a tempo completo, sem termo, ou a termo certo de, pelo menos, três meses). E a fase de “acompanhamento pós-inserção”, que corresponde à duração do contrato de trabalho, ou, nas situações em que este seja celebrado por 12 ou mais meses ou sem termo, aos 12 meses iniciais desse contrato.

Ver “Agências privadas vão gerir dez mil desempregados em Lisboa e no Porto

59,2% dos trabalhadores portugueses tinham um emprego temporário em 2013

ttemporario

Aceder “Incidence of Permanent Employment”, OCDE

Reinventar-se profissionalmente não é “fazer cursos”, é mudar de estilo de vida

reivenção

Aceder “Guía para la reinvención profesional: 20 ideas para mejorar tu carrera

O que não deve dizer numa entrevista de emprego

O que necessita saber para ir trabalhar para o estrangeiro

mudar pais

Aceder “Pronto para mudar de país

OIT prevê que a taxa de desemprego em Portugal vai baixar até 10,1% nos próximos 5 anos

oit desemprego

Aceder “World Employment and Social Outlook – Trends 2015

iAgora permite procurar empregos e estágios em mais de 70 países da Europa e do Mundo

iagora

Aceder “iAgora

Post Navigation