A Minha Carreira

Eles não sabem, nem sonham, que o sonho comanda a vida, António Gedeão

Archive for the month “Setembro, 2014”

46% dos jovens universitários em Portugal pensa estar a viver noutro país em 2020

In “Geração 2020 – O futuro de Portugal aos olhos dos universitários” (página 9)

Estar a par do que acontece no seu mercado de trabalho não é opcional, é obrigatório

Reduza a incerteza da sua carreira ligando a paixão e o trabalho

O trabalho temporário é um Triângulo das Bermudas onde desaparecem os salários e os direitos laborais

trabalho escravoO modelo de negócio da Randstad, Adecco, Manpower, Kelly Services, entre outras, consiste em receber uma fatia em média de 40 a 60% do salário dos trabalhadores. O que fazem para receber esse dinheiro não é muito perceptível, mas em média passados quatro meses acaba esse trabalho. E quem trabalhou recebe 60 a 40% do salário que o patrão final pagou. É um modelo de negócio super empreendedor e inova a maneira como os salários não vão para os trabalhadores. Disse trabalhadores? Queria dizer colaboradores. Claro que há quem diga que o trabalho temporário é um Triângulo das Bermudas em que o conluio entre patrão final e ETT faz desaparecer os salários e os direitos laborais de quem de facto faz as coisas funcionarem, mas esses são os mesmos que acham estranho as pessoas desempregadas terem que trabalhar para manter o subsídio de desemprego.

In “Privatizar o desemprego

10 fases para mudar de carreira

As mentiras mais comuns encontradas nos CV

cvlies

In “Fifty-eight Percent of Employers Have Caught a Lie on a Resume, According to a New CareerBuilder Survey

Como tirar o máximo partido do seu estágio

ttfgi

In “Making internships work – an intern’s guide

Mais de metade do novo emprego criado em Portugal no último ano foi subsidiado pelo Estado

desemprego camuflado

E estamos, sublinhe-se, perante um novo padrão na relação entre o desemprego e a formação profissional. Com efeito, se somarmos aos desempregados do INE os «desempregados ocupados» do IEFP e compararmos os valores obtidos com o número de desempregados do INE (excluindo portanto a formação profissional e a integração em programas de emprego), apenas a partir do primeiro trismestre de 2012 se começa a formar um hiato relevante (e crescente) entre as duas séries de valores (como mostra o gráfico seguinte). Um hiato que, como referido, atingiu o valor de 171 mil desempregados, registado no final do segundo trimestre de 2014.

In “Camuflar o desemprego

Workshop “Qual a vida que vale a pena ser vivida” no Funchal


workshop proinov

Programa do Workshop

Inscrição (gratuita)

No mercado de trabalho a beleza física é uma vantagem competitiva

Post Navigation